Dicas de como emagrecer de forma saudável e duradoura. Como emagrecer de forma definitiva, com uma reeducação alimentar e manutenção de uma actividade física adequada, referindo aspectos psicológicos que deve alterar para atingir a sua meta.


Como emagrecer - Dica 3

Contar calorias...
A verdade é que as pessoas quando começam a contar as calorias geralmente ficam “obcecados” com as calorias dos alimentos e depois acabam por fazer escolhas apenas baseadas nas calorias, e na verdade acabam por comer cada vez menos porque tudo parece ter muitas calorias! E se comerem cada vez menos já sabe o que acontece certo?
No entanto é claro que é importante perceber que algumas escolhas que fazemos são completamente disparatadas e afastam-nos do nosso objectivo de perder peso. É importante saber que se comer uma tablete inteira de chocolate provavelmente está a ingerir mais calorias do que num almoço... É também importante poder fazer escolhas acertadas como explicado no documentário. Por exemplo se for comer uma piza, pode sempre optar por uma menos calórica. O mesmo se aplica se for ao mcDonalds ou algo do género!
Mas por regra não deve contar as calorias a não ser que saiba exactamente como o fazer. Até porque nem todas as calorias são iguais. Quando avaliamos as calorias dos alimentos existem pelo menos 5 factores que devemos ter em conta:
  • O efeito térmico do alimento ingerido: mede a energia total necessária para suportar o processo de digestão, absorção e assimilação dos nutrientes contidos nesse alimento. Dos 3 tipos de macronutrientes a proteína tem um maior efeito térmico.
  • A fibra que o alimento contém: devido à sua estrutura química a fibra é considerada como hidrato de carbono. No entanto, por ser pouco tem a ver com os outros hidratos de carbono pois é pouco digestível. O que isto quer dizer é que apesar da fibra ter 4 Kcal por grama, como todos os hidratos de carbono, estas calorias não vão ser digeridas nem absorvidas pelo organismo.
  • O índice glicémico e insulinémico do alimento: o índice glicémico refere-se à velocidade em que os hidratos de carbono são absorvidos para a corrente sanguínea e a consequente libertação de insulina para retirar o excesso de açucar do sangue. Quando os níveis de insulina estão constantemente elevados, a dificuldade em queimar gordura é muito maior, e o pior é que vamos acumular muito mais gordura visto que a insulina não é apenas responsável por introduzir o açucar nas células mas também por introduzir gordura. Portanto se quer perder peso deve preocupar-se em manter níveis estáveis de insulina. Como? Evitando ingerir açucares simples e aumentando o consumo de fibras.
  • Os macronutrientes que o alimento contém: a insulina é responsável por introduzir tanto açucar como gordura nas nossas células. Portanto, se ingerir alimentos ricos em açucar e gordura, vai estar a elevar os níveis de açucar, gordura e insulina na corrente sanguínea e como consequência vai armazenar mais gordura.
  • A quantidade, frequência e número de refeições: na verdade se fizer poucas refeições ao dia o corpo acaba por nunca saber quando será a próxima vez que vai receber comida novamente. O que acontece é que, como reflexo de sobrevivência, vai tentar armazenar o máximo de calorias possível para ficar protegido caso não receba “alimento” tão depressa.
Portanto, como vê, a questão não passa apenas por contar as calorias pois o processo não é tão simples como 1+1=2!

Sabe quais as dietas mais populares? Conheça-as:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL